SEMINÁRIO "Regressão De Poisson" PPGCS

postado em 17 de abr de 2018 07:15 por Gabriel Cremona   [ 6 de mai de 2018 09:44 atualizado‎(s)‎ ]

O Grupo de Pesquisa que conduz o estudo de Coorte Brasil Sul (PPGCS) está promovendo um seminário sobre a Regressão de Poisson
  • Título: 
    • O básico sobre a regressão de Poisson
  • Ementa:
    • Funções logarítmicas e exponenciais. Distribuição binomial. Distribuição de Poisson. Regressão de Poisson.
  • Ministrante: 
    • Prof. Dr. Gabriel Cremona (PPGCS/Unisul)
  • Local: 
    • Sala 211 – bloco B, PB, Ph, SC.
  • Horário: 
    • 8:30hs - 11:30hs

Material relacionado com a apresentação> anexo no fim deste post!

Vídeo-aulas

Regressão de Poisson com SPSS: https://www.youtube.com/watch?v=J_SQFJQzyLY
Regressão de Poisson com MiniTAB: https://www.youtube.com/watch?v=evhr5QiO59g

GEOLOCALIZAÇÃO PARA PROJETOS DE PESQUISA

postado em 12 de abr de 2018 06:55 por Gabriel Cremona   [ 3 de mai de 2018 07:23 atualizado‎(s)‎ ]


INTRODUÇÃO


Para poder realizar algumas pesquisas com os dados de campo levantados no projeto, os endereços devem estar geolocalizados
Uma das formas de poder geolocalizar endereços é por meio dos endereços tradicionais (nome de rua e número da casa)
Porém, naqueles casos que o endereço não existe ou não é seguro, temos a alternativa de localizar por meio das coordenadas geodésicas (geográficas) de latitude e longitude. 

Essas coordenadas geográficas, antigamente eram determinadas por meio de observações estelares ou solares (estas últimas menos precisas). Atualmente, a tecnologia GNSS (conjunto de sistema de posicionamento global por satélite que inclui o GPS dos EEUU, o GLONASS da Rússia e outros sistemas, como os chinês, japonês e européio, ainda não disponíveis mundialmente, apenas existem aqueles satélites chamados de "geoestacionários" acima de cada área proprietária, por enquanto)

Observação: por ter sido o sistema GPS, dos norte-americanos, o primeiro de uso civil, muitos utilizam "GPS" como sinónimo de GNSS (o mesmo que falamos de "RAID" para todos os inseticidas! Ou "Flit" para os memoriosos!) 

A geocodificação se fará com os dados de latitude longitude ou com os dados de endereços, num projeto de Sistema de Informações geográficas.

Vídeos sobre coordenadas, GNSS e Geocodificação

Coordenadas geográficas: 

Explicações sobre o "GPS" GNSS Na verdade!
Geocodificação de endereços: como se faz?

CONTROLE DO RECEPTOR GNSS DOS SMARTPHONES

Para iniciar a usar o smartphone como um receptor de dado do GNSS devemos ter consciência de qual a qualidade do receptor embutido no aparelho, e para isso, devemos fazer um teste inicial para avaliar tal situação e não provocar problemas posteriores. 

Na Unidade Pedra Branca do Campus Norte

Objeto físico selecionado para os testes:
  • Poste branco na Entrada estacionamento C das engenharias 
  • Localizado no vértice limite do parque da naturologia 
  • Motivo da seleção: Céu livre para uma leitura adequada dos dados dos satélites e ponto firme e duradouro no tempo. 
Dados do ponto

Dados do Levantamento com o GPS Garmin GPSmap 60CSx 
(Terça-feira 11 de julho de 2017, durante a manhã) HDOP adequado 
  • Datum WGS84 
  • Latitude = S 27° 37' 30,6' = -27,625167
  • Longitude = N 48° 40' 59.4" = -48,68317
  • Valores médios de 700 leituras realizadas em 15 minutos de varredura. 
  • Erro planimétrico médio de 2,50m
Localização Ponto
com arquivo KMZ para Google Earth: ver anexo no final desta página
Vista da imagem de localização do Google Earth:
PosteBB1
(clique na imagem para zoom)

Imagens do poste de controle (clique nas imagens para zoom)
Vista saindo do estacionamento C (No fundo Bloco A da PB)
PostePB2
(clique na imagem para zoom)

Vista entrando ao estacionamento C (no fundo Bloco L das Engenharias)
PostePB3
(clique na imagem para zoom)

Vista saindo para a entrada principal da UNISUL PB (no fundo, novo prédio sede da Unisul Virtual)
PostePB4
(clique na imagem para zoom)

Na Unidade Tubarão no Campus Sul

Dados do Levantamento com o GPS Garmin GPSmap 60CSx 
(segunda-feira 16 de Abril de 2018, durante a tarde) HDOP adequado 
  • Datum WGS84 
  • Latitude = S 28° 28' 53,6' = -28,481556
  • Longitude = N 49° 01' 09.3"  = -49,019250
  • Valores médios de 1200 leituras realizadas em 25 minutos de varredura. 
  • Erro planimétrico médio de 2,00m
Localização Ponto
com arquivo KMZ para Google Earth: ver anexo no final desta página
Vista da imagem de localização do Google Earth: 
(clique na imagem para zoom)

Imagens do vértice do meio-fio usado como ponto de controle (clique nas imagens para zoom)
Vista Para a Biblioteca Central co Campi Tubarão 
(clique na imagem para zoom)

Vista para a saída posterior do Bloco A (prédio sede)
(clique na imagem para zoom)

Vista para o polo da Unisul Virtual Tubarão 
(clique na imagem para zoom)

LEVANTAMENTO COM ANDORIDE

TAREFAS INICIAIS

Aplicativo a usar: Mobile Topographer Procure no Google Play e instale como se instala todo aplicativo no Androide e continue com esta leitura.

Ao iniciar o aplicativo, esta é a tela que aparecerá no ecrã do celular:
MT1
(clique na imagem para zoom)

As opções que utilizaremos são:
  • Menu/setting (ou as 3 barras com os botões de controle ao lado da "i" de informação do aplicativo) 
  • SATELITTES para ver os satélites que temos disponíveis e quando podemos iniciar o trabalho (ao iniciar o programa, deve se conectar com todos os satélites, isso pode levar alguns minutos) 
  • SURVEY para levantar o ponto desejado 
  • POINTS para gerenciar os pontos levantados (e enviar para a nuvens ou e-mail e ver no Google Maps). 
Na opção SETTING, devemos modificar para que fiquem as seguintes opções configuradas (vamos trocar o e-mail por um outro específico)
MT2
(clique na imagem para zoom)

Observação:O SGR Sirgas 2000/UTM é o sistema cartográfico/geodésico com coordenadas em metros, padronizadas para todo Brasil.
Devemos verificar e selecionar adequadamente porque existem outros SGR como opções, como se vê na tela da do SGR (GRS em inglês):
MT3
(clique na imagem para zoom)

Uma vez configurado (apenas a primeira vez se configura o SGR) devemos entrar em satélite para esperar a conexão com os dois sistemas GNSS que temos disponíveis em nossa região: GPS (FFAA USA) e GLONASS (FFAA RUSIA). 

Os outros três (chinês, Japonês de da União Europeia) não tem satélites orbitando nesta região, pelo qual nunca teremos -por enquanto- a sus disponibilidade. 

As cores do satélite indicam a fonte (vermelho russos e azul norte-americanos):
MT4
(clique na imagem para zoom)

Observação: A cor que fica ao lado de cada nome de sistema (GPS e GLONASS) pode ser vermelho, laranja, amarelo ou verde (depende se está se conectando ou não com todos os satélites (ver na ajuda "?")

Pelo menos um deles tem que ficar verde (observe que à direita temos quantos satélites estão sendo acessados de quantos visíveis no céu, por exemplo: 10/13, indica 10 conectados de 13 disponíveis no céu)

O círculo externo da bússola significa o "Horizonte" o centro do círculo é o zênite e os outros círculos concêntricos indicam um ângulo de elevação de 22°, 45° e 68° acima do horizonte. Daqui se calcula o "PDOP" a maior parte dos satélites devem estar dentre os 22 e 68° acima do horizonte para ter uma boa medição planialtimétrica.

A partir desse momento, podemos iniciar os trabalhos. Este "arranque em frio" dos sistemas GNSS sempre demora um pouco porque devem ser estabelecidos os protocolos de conexão do aparelho com os satélites e os centros operacionais dos mesmos (cada receptor GPS tem um código único que o habilita para acessar o sistema e esse código é controlado a cada novo acesso, evita pirataria e o acesso irrestrito, cada aparelho GPS paga uma taxa única para acessar o sistema... (Sim! Não é de graça o sistema de geolocalização, a taxa está embutida no custo do aparelho) 

LEVANTAMENTOS DE PONTOS 

Primeiramente, na frente de cada endereço:
  • Se localiza no médio da linha de frente do lote, na metade da "testada" dele (A testada é a linha da frente do lote, usualmente pode ser um muro ou cerca verde, por exemplo) 
  • Evite ficar sob árvores ou coberturas 
    • Caso necessário se desloca até o médio da rua e aclara essa situação na planilha dos dados ao lado das coordenadas, indicando se o lote está ao sul, norte, leste ou oeste do ponto levantado) 
No aplicativo, entre na opção SURVEY, e observará uma tela semelhante a esta:
MT5
(clique na imagem para zoom)
  • Aguarde uns instantes até o valor da "accuracy" da parte superior da tela esteja perto de 5m e o PDOP seja um valor pequeno (perto de 1,0) 
  • A continuação, clique em "Start Accurate possitioning" para iniciar a leitura múltipla dos satélites e aumentar a acurácia por modelos estatística (leitura múltipla).
    • Desta forma, espere que leia umas 130 a 150 vezes, visando atingir uma acurácia menor que um metro 
    • Para atingir a máxima precisão, o programador do aplicativo aconselha 8 minutos e/ou 500 leituras do satélite, mas não precisamos de tanto, atingindo uma acurácia sub-métrica, podemos parar. 
MT6
(clique na imagem para zoom)
  • Para parar a leitura do satélite e gravar o ponto levantado: 
    • Clique no mesmo botão (que agora aparece como "STOP ...." em vermelho 
    • Clique na pequena folha branca com um "+" para dar nome e salvar o ponto levantado 
    • Defina como nome o código da ficha do levantamento 
    • Logo, pode ver os dados levantados clicando no ícone da folha à direita na barra inferior do aplicativo 
MT7
(clique na imagem para zoom)
  • Também pode ver a sua posição no mapa clicando o primeiro ícone à esquerda na barra inferior (ícone do mapa com um marcador típico do Google Maps) 
MT8
(clique na imagem para zoom)
  • Para evitar problemas de perdas de dados: 
  • Escreva as coordenadas (na ficha do levantamento) na ordem Latitude primeiro e longitude depois 
  • Para enviar: 
    • No ícone SALVAR, defina o nome do arquivo dos pontos (que pode ser a data e o nome do entrevistador) 
    • Este processo salva no próprio aparelho o arquivo com os dados 
MT9
(clique na imagem para zoom)
  • No ícone de arquivo (retângulo com uma seta para direita) 
    • Defina tipo de arquivo ".txt" 
    • Este processo salva no próprio aparelho o arquivo com os dados 
      • É semelhante ao anterior... 
    • No ícone das nuvens, defina arquivo .CSV e selecione para onde vai enviar: Dropbox e finalize a confirmação do envio. 
Pequeno Tutorial do  Movile Topographer: MOBILE TOPOGRAPHER - TOPOGRAFIA 

DEFINIÇÃO DA CONTA DROPBOX PARA ENVIO DAS COORDENADAS LEVANTADAS:

ANTES DO LEVANTAMENTO:
  • Deverá ter uma conta de e-mail no Gmail e uma conta do DropBox (ou continue a ler se não tem)
  • Instale o aplicativo para entrar no Dropbox no smarthphone e entre com sua conta e senha.
  • Desde o computador entre no Dropbox: www.dropbox.com com sua conta e senha.
  • Por exemplo, se quer usar a conta DropBox disponibilizada pelo Prof. Cremona para este tipo de trabalho:
    • Deverá "Acessar conta" desde o aplicativo com estes dados: 
      • e-mail: gabrielcremonaparma@gmail.com 
      • Senha: (solicite ao Professor pelo e-mail) 
      • Observe que o "nome da conta" no Dropbox é "GeoCoorte" 
    • Observação: 
OBSERVAÇÕES AO DROPBOX:
  • Seria interessante criar uma pasta para cada grupo de pesquisa em campo ou trabalho para organizar melhor os dados levantados por vários grupos. 
  • DEVEM TER CUIDADO DE NÃO APAGAR ALGUM ARQUIVO ERRADO DOS OUTROS COLEGAS
    • Todos teremos acesso irrestrito a este Dropbox, então muita atenção para não provocar algum "problema" apenas por distração! (Ainda que o DropBox permite recuperar se alguma coisa foi apagada por engano).

CONTINUANDO O LEVANTAMENTO

  • Finalmente, logo de salvo e enviado o arquivo dos pontos: 
    • Complete o questionário como sempre e 
  • Continue com o próximo endereço. 
  • Repita este procedimento para todos os endereços a codificar geograficamente. 
    • Cada vez que envie no mesmo dia, o Dropbox vai solicitar confirmação para sobrescrever, porque está enviando o mesmo arquivo somente que com maior quantidade de dados: Sem problemas. 
    • Se tem problemas de sinal de internet ou outros problemas de envio, espere a completar um grupo de endereços e envie de uma única vez para a nuvem, quando esteja numa área de melhor recepção de sinal 3G/4G do celular. 
Se está usando IPHONE: Com o aplicativo que esteja usando, o processo básico deve ser mais ou menos semelhante, com as variações próprias do aplicativo e do sistema operativo do smartphone apenas, porém, a recomendação é usar ANDROIDE.

.-GCP Data de criação: Agosto de 2017. Primeira atualização Abril de 2018.

Testes não paramétricos

postado em 11 de abr de 2018 05:33 por Gabriel Cremona   [ 11 de abr de 2018 05:55 atualizado‎(s)‎ ]

http://www.portalaction.com.br/tecnicas-nao-parametricas
Tabela de comparação de testes:

Paramétrico

Não-Paramétrico

Coeficiente de Pearson para CorrelaçãoCoeficiente de Spearman para Correlação
Teste-t 1 AmostraTeste de Wilcoxon 1 Amostra
Teste-t PareadoTeste de Wilcoxon Pareado
Teste-t 2 AmostrasTeste de Wilcoxon-Mann-Whitney Amostras Independentes
ANOVATeste de Kruskal-Wallis
ANOVA experimento fatorial em blocosTeste de Friedman


Regressões

postado em 27 de fev de 2018 11:51 por Gabriel Cremona   [ 30 de mar de 2018 13:15 atualizado‎(s)‎ ]


Cinco erros comuns nas regressões (Topo)

Fonte Internet: Escola EDTI. http://www.escolaedti.com.br/5-erros-comuns-em-regressao/ Acessado em Fev/2018

Os modelos de regressão são bastante utilizados quando queremos estudar a relação entre uma variável resposta e várias variáveis independentes e quantificar seus efeitos. Porém, alguns cuidados devem ser tomados ao executar o ajuste para não prejudicar o seu trabalho. Erros comuns em regressão passam facilmente despercebidos, pois o software continuará calculando a regressão, podendo levar a decisões erradas e prejudicar todo o seu trabalho. Por isso separamos os principais erros cometidos e como evitá-los.

1) Quanto mais variáveis, melhor

  • Erro: Achar que quanto mais variáveis independentes eu tiver para explicar a variável de interesse, melhor. 
    • Por exemplo, minha variável de interesse é a altura de uma pessoa e coleto dados de diversas variáveis como peso, idade, sexo, escolaridade, frequência cardíaca, cor do cabelo, etc.
  • Consequência: Dificulta muito a interpretação do modelo. 
    • Quando ajustamos um modelo de regressão queremos que ele seja facilmente entendido. Imagina ter que explicar o efeito de cada variável independente na variável resposta? Além disso, algumas variáveis podem possuir um efeito baixíssimo e não serem relevantes para explicar a variável resposta.
  • Solução: Antes de encher seu modelo de variáveis, observe as que você tem disponível e tente selecionar algumas poucas que você julgar serem relevantes para explicar a variável resposta. 
    • Depois de ajustada, verifique se a regressão é satisfatória. 
    • Se não for, daí sim tente acrescentar mas variáveis aos poucos.

2) Quanto maior a correlação entre as variáveis, melhor!

  • Erro: Achar que quanto maior a correlação entre todas as variáveis (independentes e resposta), melhor será o ajuste.
  • Consequência: Matematicamente, correlações altas entre as variáveis independentes causam uma instabilidade numérica ao ajustar a curva de regressão, o chamado efeito de multicolinearidade. Em outras palavras, redundância.
  • Solução: Não confunda relação com correlação. 
    • É muito importante que as variáveis tenham alguma relação entre si para que você consiga explicar a regressão, mas valores altíssimos de correlação geram redundância e podem ser matematicamente prejudiciais. 
    • Uma dica é antes de ajustar o modelo de regressão verificar a correlação entre todas as variáveis independentes. Se existir uma correlação muito próxima de 1 ou -1 entre variáveis, escolha apenas uma delas para entrar no modelo.

3) R^2 é suficiente para avaliar minha regressão

  • Erro: Depois de ajustado o modelo de regressão, achar que olhar apenas para o R^2 lhe dará informações suficientes para julgar se tem uma boa regressão ou não.
  • Consequência: Podemos obter péssimas regressões com R^2 altíssimos. 
    • Matematicamente, o R^2 é uma proporção entre 0 e 1 que lhe diz o quanto da variabilidade da variável resposta pode ser explicada pela regressão. 
    • Porém, é um número que cresce sempre que adicionamos uma variável independente no modelo. 
    • Então, como vimos em 1), modelos com muitas variáveis nem sempre são bons modelos e terão R^2 altos. 
    • Um exemplo clássico de como podemos superestimar o poder de R^2 é o quarteto de Anscombe. 
    • Na figura abaixo temos quatro conjuntos de dados totalmente diferentes, mas de exatamente mesma regressão linear simples e R^2 de 0,816, valor considerado alto. 

Solução: A boa e velha solução é fazer o gráfico. Verifique como a regressão se ajusta em seus dados. Essa é a principal ferramenta para avaliar se seu ajuste foi bom ou não. O R^2 é útil quando queremos comparar dois modelos para o mesmo problema.

4) Dados tem que ser normais

  • Erro: O pressuposto para ajustar uma regressão é que os dados sejam normais.
  • Consequência: Você pode perder tempo tentando normalizar os dados, sendo que não há necessidade nenhuma para isso.
  • Solução: O pressuposto principal é que os dados sejam contínuos e os resíduos (ou erros) tenham variância constante e sejam independentes. 
    • Ou seja, depois de ajustar a regressão faça um gráfico de dispersão dos resíduos (valor ajustado menos valor real) e veja se eles se concentram em torno do zero e tem uma variabilidade constante. 
    • Na imagem abaixo temos três gráficos de dispersão de resíduos para modelos diferentes. 
      • Na primeira figura os resíduos se concentram em torno do zero e possuem uma variabilidade aparentemente constante. 
      • Na segunda figura, os dados também se concentram em torno de zero, mas aparentemente a variabilidade aumenta no lado direito do gráfico. 
      • Na terceira figura temos dados não concentrados em torno de zero, mas variabilidade constante. 
    • Resumindo, apenas a primeira figura satisfaz os pressupostos do modelo.


5) Se a variável não for significativa, eu retiro da regressão. Sempre!

  • Erro: Achar que ao fazer o teste de hipótese para verificar se a variável independente é significativa ou não é crucial para decidir se ela continua no modelo.
  • Consequência: Você pode estar retirando uma variável muito importante para explicar sua variável resposta, mesmo que ela tenha se mostrado não significativa.
  • Solução: Pare e pense além dos números e verifique qual a relação entre a variável independente e a variável resposta. 
    • Se antes de ajustar a regressão você tinha certeza absoluta de que aquela é a variável chave do modelo, pode ser que ela ainda seja, mas tenha um efeito pequeno. 
    • Afinal, o teste de hipótese verifica se o efeito é zero ou não e efeitos observados próximos de zero podem acusar não significância.

estatística básica, conceitos, testes e outros materiais sobre pesquisa

postado em 20 de jan de 2018 05:00 por Gabriel Cremona   [ 30 de mar de 2018 13:26 atualizado‎(s)‎ ]

(Topo)

Replicando pesquisas: apenas 47% tem resultados verdadeiros! 

Estatística básica, Conceitos, Testes e Outros Materiais


Alguns conceitos elementares (UFSC):

ALEA - Organização portuguesa sobre Formação em Est

Sites sobre Estatística Médica da UFMG:

Teste Kappa: teste da concordância dentre juízes

Site com bastante informações de Excel aplicada à estatística, inclusive com apostilas:

Excel avançado: Funções estatísticas no Excel: completo guia com as funções, suas estruturas e usos
http://www.w3ii.com/pt/advanced_excel_functions/advanced_excel_statistical_functions.html

SPSS DICAS: Tutoriais e aplicações

postado em 27 de nov de 2017 10:01 por Gabriel Cremona   [ 30 de mar de 2018 13:17 atualizado‎(s)‎ ]

(Topo)

Livro "Descobrindo a ESTATÍSTICA usando SPSS"

Uso básico do SPSS:

Tutorial 1: https://www.youtube.com/watch?v=DFDY3hH_oDI 

Tutorial 2: https://www.youtube.com/watch?v=UtvtglZMsW8 

Tutorial 3: https://www.youtube.com/watch?v=UtvtglZMsW8 

Tutorial 4: https://www.youtube.com/watch?v=OFh8n5tE21o 

Tutorial 6: https://www.youtube.com/watch?v=7jwl-rlYZg8

Site dos Psicometristas Brasil: https://www.youtube.com/channel/UCmQTLhj0Ev41tjClKPJ20Lw

ANOVA (slides): http://sweet.ua.pt/gladys/ME/Acetatos/Aula10-ANOVA-1xPage.pdf

ANOVA com SPSS (ótimos vídeos para entender rapidinho!)

Aula14: https://www.youtube.com/watch?v=MM6jDNml83U 

Aula15: https://www.youtube.com/watch?v=M3n77y-Hu2w

SPSS e ANOVA: https://www.youtube.com/watch?v=n335JH0hYug

Manual do SPPS da UFRGS: https://www.ufrgs.br/gpat/wp-content/uploads/2012/05/Manual-de-Spss-pt.pdf (bastante completo e resumido para usar operativamente)

Análise Fatorial no SPSS:

Análise Fatorial Andreia Torres

Análise Fatorial Rogério Costa Pinto

Aula - Alpha de Cronbach SPSS escala ansiedade (Psicometristas Brasil)

Aula - Analise Fatorial Exploratória SPSS escala ansiedade (Psicometristas Brasil)

Aula - Alpha e redução instrumental (Psicometristas Brasil)

Aula - redução instrumental e analise fatorial  (Psicometristas Brasil)


Metanálises

postado em 4 de nov de 2017 14:01 por Gabriel Cremona   [ 30 de mar de 2018 13:18 atualizado‎(s)‎ ]

1-10 of 13